Contagem

web counter free

sexta-feira, 9 de junho de 2017

ASSIS É DO BOAVISTA

Assis Giovanaz, guarda-redes de 27 anos, Luso-brasileiro, com 1,87m, assinou contrato com o Boavista por duas épocas desportivas. 

Assis, fez formação no Atlético Mineiro, no Brasil, e em Portugal tem passagens pelos escalões de formação do Belenenses e Vitória de Guimarães, onde chegou à primeira equipa tendo efetuado 23 jogos, como titular, na Liga NOS. Na época passada, actuou no Leixões tendo, também assumido a qualidade de titular.

Chega agora ao Boavista como um dos guarda-redes que lutará pela titularidade.

O agora guardião Boavisteiro diz estar muito feliz por chegar ao Boavista, um dos grandes clubes nacionais, com uma enorme história no campeonato português e na europa.



VÍTOR BRUNO ASSINA PELO BOAVISTA

Vítor Bruno, defesa esquerdo, português, natural de Vila do Conde, de 27 anos, assinou contrato com o Boavista pelas próximas duas temporadas.
O agora jogador axadrezado foi titular indiscutível no Feirense, onde actuou na época passada, tendo participando em 35 jogos. Jogador “raçudo” pode actuar em toda a ala esquerda. Formado no Futebol Clube do Porto conta com passagens pelo Penafiel e pelo Cluj.


terça-feira, 6 de junho de 2017

ALEX RODRIGUEZ GORRIN É REFORÇO DO BOAVISTA

Rodriguez - como prefere ser tratado - médio espanhol de 23 Anos, de 1,85m, assinou contrato com o Boavista pelas próximas duas temporadas. Natural de Tenerife, fez formação em Inglaterra no Sunderland e actuou nas últimas 4 temporadas no Wellington Phoenix da Liga Australiana. Alex Rodriguez pode atuar como médio defensivo “6” ou como médio de transição “8”

O agora jogador Axadrezado diz estar muito contente por assinar com o Boavista, prometendo muito trabalho e empenho para honrar e estar à altura deste grande e histórico clube Português.



segunda-feira, 5 de junho de 2017

AYMEN TAHAR REGRESSA AO BOAVISTA

Depois de meia época em 2015/2016, por empréstimo do Steaua, o médio Anglo-Argelino de 27 anos - que deixou saudades pela sua qualidade técnica e profissionalismo - regressa ao Boavista a título definitivo.
Aymen Tahar assina contrato com o Boavista pelas próximas duas épocas desportivas.
Tahar diz estar muito feliz por regressar ao Boavista, prometendo empenho, dedicação e muito trabalho, nesta sua nova etapa no Boavista.

sábado, 20 de maio de 2017

Bela Época!

BOAVISTA FC-2 SL BENFICA-2
Liga Nós 34ºJornada 2016-2017
20 de Maio de 2017 - 20H30M
Estádio do Bessa Século XXI
Árbitro:Nuno Almeida(A.F.Algarve)

GR:Vágner da Silva   GR:Júlio César(Paulo Lopes 78')
DD:Tiago Mesquita   DD:Pedro Pereira
 DC:Phillipe Sampaio DC:Lisandro López
DC:Lucas Tagliapietra  DC:Branimir Kalaica
DE:João Talocha(Edú Machado 68') DE:Eliseu
MC:Idrís Mandiang  MC:Andreas Samaris
 MC:Anderson Carvalho MC:Filipe Augusto(Raúl Jiménez 64')
MC:Fábio Espinho MC:André Horta
ED:Iuri Medeiros(André Bukia 83') ED:Andrija Zivkovic
EE:Renato Santos EE:Marcelo Hermes(Rafa Silva INT)
PL:André Schembri(Aidi Xisi 83')  PL:Kostas Mitroglou

Treinador:Miguel Leal               Treinador:Rui Vitória

Cartões Amarelos:Kostas Mitroglou 32',Filipe Augusto 45',Idrís Mandiang 74',Lisandro López 79' e Andreas Samaris 76'.

Golos:Renato Santos 16',André Schembri 52',Kostas Mitroglou 71' e Branimir Kalaica 90'.



Boavista empatou este sábado à noite com o Benfica (2-2), no Estádio do Bessa, em partida a contar para a última jornada da edição 2016/17 da I Liga de futebol. A equipa de Miguel Leal chegou a estar a vencer por 2-0, mas os campeões nacionais lograram chegar à igualdade na segunda parte.


Um golo de Kalaica, aos 90 minutos, permitiu ao Benfica, que se sagrou tetracampeão nacional na semana passada, empatar 2-2.
Os axadrezados, que na primeira volta também estiveram a vencer por 3-0 e permitiram o empate, chegaram aos 2-0 com golos de Renato Santos, aos 16 minutos, e de Schembri, aos 52, mas a equipa ‘encarnada’, com muitos jogadores poupados para a final da Taça de Portugal, ainda conseguiu reagir e chegar à igualdade, com golos de Mitroglou, aos 71, e de Kalaica, aos 90.
Com este empate, o Benfica fecha o campeonato na primeira posição com 82 pontos, para já mais seis do que o FC Porto, segundo e que só joga este domingo, enquanto o Boavista vai terminar o campeonato no nono posto com 43.

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Vitoria no Sado na última deslocação da Época

V.SETÚBAL-0 BOAVISTA FC-1
Liga Nós 33ºJornada
15 de Maio de 2017 - 20h
Estádio  do Bonfim em Setúbal
      Árbitro :Manuel Mota(A.F.Braga)

GR:Pedro Trigueira  GR:Vágner da Silva
DD:Arnold Issoko DD:Tiago Mesquita
 DC:Pedro Pinto DC:Phillipe Sampaio
DC:Fábio Cardoso Sá  DC:Aidi(Carlos Santos 87')
DE:Vasco Fernandes DE:João Talocha(Édu Machado 75')
MC:Nuno Pinto(João Carvalho 59') MC:Carraça
MC:Nenê Bonilha(João Amaral 72') MC:Fábio Espinho
MC:João Costinha MC:Idrís Mandiang
ED:José Manuel ED:Iuri Medeiros
EE:Nuno Santos EE:Renato Santos
PL:Albert Meyong(Edinho 56')  PL:André Schembri(Iván Bulos 72')

Treinador:José Couceiro                 Treinador:Miguel Leal


Cartões Amarelos:Carraça 19',Tiago Mesquita 34',Arnold Issoko 40',Iván Bulos 87' e 94' e Fábio Cardoso 91'.

Cartões Vermelhos: Iván Bulos 94'.

Golos: Iuri Medeiros 26'.







O Boavista venceu fora o V. Setúbal (0-1, golo de Iuri Medeiros aos 26 minutos), esta segunda-feira à noite, em jogo a contar para a 33ª e penúltima jornada do da I Liga de futebol. Com esta vitória, os axadrezados passaram a somar 42 pontos e ficaram a certeza que não irão terminar o campeonato abaixo do nono lugar.

O conjunto setubalense, que viu o avançado Meyong, de 36 anos, fazer o último jogo em casa como jogador, antes de terminar a carreira, somou a quinta derrota consecutiva no campeonato, facto que prova o mau momento da equipa treinada por José Couceiro.
O técnico dos sadinos operou uma revolução no ‘onze’, mantendo apenas quatro jogadores – Vasco Fernandes, Fábio Cardoso, Nuno Pinto e Costinha – que foram titulares na jornada anterior (derrota 2-1 em Tondela). No Boavista, o destaque vai para a estreia do chinês Aidi, que reforçou os ‘axadrezados’ em janeiro.
Com apenas um triunfo (2-0) nas últimas 14 jornadas, os sadinos entraram melhor e estiveram perto de inaugurar o marcador aos 15 minutos, momento em que Nuno Santos, à ‘boca da baliza’, falhou, após assistência de Arnold na direita.
Na resposta, aos 25 minutos, os ‘axadrezados’ chegaram ao golo através de Iuri Medeiros, numa altura em que os sadinos tinham ascendente. Uma assistência primorosa de Talocha, permitiu ao extremo ganhar em velocidade a Nuno Pinto e, com Trigueira pela frente, fez um ‘chapéu’ ao guarda-redes, inaugurando o marcador.
Os sadinos acusaram o golo e cometeram erros que só não tiveram consequências mais graves devido a um par de intervenções de Vasco Fernandes, que impediu Iuri Medeiros e Renato Santos de faturarem, aos 37 minutos.
Junto da baliza de Vagner, o sadino Zé Manuel era a principal ameaça, mas, aos 33 e 35 minutos, o avançado cedido pelo FC Porto não teve a pontaria necessária para repor a igualdade antes do intervalo.
Depois de um início de segundo tempo ‘morno’, José Couceiro lançou Edinho e João Carvalho, aos 56 e 58 minutos, para os lugares de Meyong e Pedro Pinto. A tentativa de espevitar o ataque quase surtiu efeito, aos 62 minutos, mas Zé Manuel falhou a emenda ao segundo poste, após canto na esquerda.
A vencer, o Boavista geriu a vantagem sem sobressaltos, sem nunca deixar de visar a baliza de Trigueira, guardião que teve em Iuri Medeiros a principal ameaça.
Nos últimos 15 minutos do encontro, o Vitória de Setúbal apostou tudo para chegar à igualdade, mas a ineficácia impediu a equipa de José Couceiro de o conseguir. Aos 79 minutos, Edinho e Zé Manuel (o mais perdulário em campo) falharam a emenda ao cruzamento de Nuno Pinto.
À beira do fim, os sadinos tiveram duas oportunidades flagrantes para marcar. Edinho, 89 minutos, e Nuno Santos, 90, falharam a baliza de Vagner, não evitando a conquista dos três pontos para o Boavista.
A derradeira oportunidade dos sadinos para marcar surgiu, aos 89 minutos, num livre direto de Edinho que passou ao lado do poste direito do Boavista.

terça-feira, 9 de maio de 2017

Antevisão V.Setúbal - Boavista FC


Vitória FC vs BOAVISTA FUTEBOL CLUBE
Preço do bilhete: 10€
Bilhete + viagem: 11€*

*Viagem valor simbólico de 1€
Horário da Secretaria: 09h30 às 12h30, das 14h00 às 18h00

sábado, 6 de maio de 2017

Falta de Atitude

BOAVISTA FC-2 CD NACIONAL-2
Liga Nós 32ºJornada 2016-2017
6 de Maio de 2017 - 16H
Estádio do Bessa Século XXI
Árbitro:João Matos(A.F.Viana do Castelo)




GR:Vágner da Silva    GR:Adriano Facchini(Vítor São Bento 66')
DD:Tiago Mesquita   DD:Victor Garcia
 DC:Phillipe Sampaio DC:César
DC:Lucas Tagliapietra  DC:Rui Correia
DE:João Talocha DE:Nuno Sequeira
MC:Idrís Mandiang  MC:Washington
 MC:Emin Makhmudov(Carraça INT) MC:Filipe Gonçalves
MC:Fábio Espinho MC:Dejan Mezga
ED:Iuri Medeiros ED:Zixo
EE:André Bukia(Renato Santos 77') EE:Ricardo Gomes
PL:André Schembri(Idé Colubali 71')  PL:Okacha Hamzaoui(Fernando Aristeguieta 85')

Treinador:Miguel Leal               Treinador:João de Deus

Cartões Amarelos:Nuno Sequeira 40',Washington 45',Okacha Hamzaoui 53' e Phillipe Sampaio 84'.

Golos: Dejan Mezga 25',Iuri Medeiros 36',Okacha Hamzaoui 42' e Fábio Espinho(g.p.) 45'.




O Boavista empatou este sábado à tarde (2-2), no Estádio do Bessa, diante do Nacional da Madeira, que sexta-feira viu confirmada a descida à II Liga após a vitória do Moreirense frente ao Sp.Braga (2-1). Apesar da igualdade, os axadrezados seguem tranquilos a meio da classificação da I Liga, quando faltam apenas duas jornadas para o final do campeonato.


O croata Mezga (28 minutos) e o argelino Hamzaoui (42) deram vantagem aos insulares, contrariada com os golos dos portugueses Iuri Medeiros (36) e Fábio Espinho (45+2), este de grande penalidade.
Com este resultado, o Boavista subiu provisoriamente ao nono lugar, com 39 pontos, enquanto o Nacional, já despromovido, é último, com 21.
Num jogo entre duas equipas já sem objetivos classificativos, os destaques vão para os quatro golos, todos na primeira parte, para um lance em que Schembri, aos 59 minutos, falhou o 3-2 de forma incrível, e para atitude positiva do Nacional apesar de já saber que vai para a II Liga, porque o Moreirense vencera o Braga na véspera (2-1).
O Nacional conseguiu, assim, o seu terceiro empate fora de casa e foi quase sempre melhor do que o Boavista, que produziu mesmo uma das suas piores exibições desta época.
Os visitantes chegaram ao 1-0 após uma saída rápida pelo flanco direito, que Mezga finalizou com um remate cruzado e colocado, batendo Vagner.
O Boavista, trapalhão, desinspirado e desconcentrado, empatou por Iuri Medeiros, que aproveitou um bom toque de calcanhar de Schembri, talvez o melhor momento deste atacante maltês batalhador, mas pouco produtivo.
Com o jogo aberto, o Nacional voltou a adiantar-se no marcador quando Ricardo Gomes cruzou e Hamzaoui, à vontade entre os centrais Philipe Sampaio e Lucas Tagliapietra, cabeceou e bateu Vagner.
Este golo foi aos 42 minutos, mas o Boavista ainda teve tempo para empatar antes do intervalo, de grande penalidade, por Fábio Espinho (45+2 minutos), que se redimiu assim de um falhanço surpreendente segundos antes.
O Nacional manteve a mesma atitude competitiva após o descanso, confirmando as suas debilidades ofensivas, e o Boavista dispôs de uma enorme ocasião de golo, aos 59 minutos.
Esse lance começou com um grande lançamento de Carraça para Iuri Medeiros, com este a servir Schembri, o qual, com Facchini fora da baliza, deixou-se desarmar por Victor Garcia, cujo mérito maior foi nunca ter desistido da jogada quando ela parecia perdida.
O guarda-redes Facchini lesionou-se aos 66 minutos e o Nacional esteve perto do golo aos 70, num remate forte de Mezga, e aos 83, mas o resultado estava feito.

segunda-feira, 1 de maio de 2017

Antevisão Boavista - CD Nacional


BOAVISTA FC – CD Nacional
Sabado, 6 de maio às 16:00

Preços dos bilhetes
Sócios: 3€
Acompanhantes de Sócio: 6€ (cada associado poderá adquirir até 3 Bilhetes a 6€ cada)

Horário das bilheteiras: terça a sexta, das 9h30 às 12h30, e das 14h00 às 18h00;
Sábado, das 9h30 até ao intervalo do jogo

sábado, 29 de abril de 2017

Finalmente Nova Vitória Após Cinco Jornadas

BOAVISTA FC-1 CD TONDELA-0
Liga Nós 31ºJornada 2016-2017
29 de Abril de 2017 - 16H
Estádio do Bessa Século XXI
Árbitro:Vasco Santos(A.F.Porto)




GR:Vágner da Silva    GR:Claúdio Ramos
DD:Tiago Mesquita   DD:Jaílson
 DC:Phillipe Sampaio DC:David Bruno
DC:Lucas Tagliapietra  DC:Kaká
DE:João Talocha DE:Yordan Osório
MC:Idrís Mandiang  MC:Claude Gonçalves
 MC:Anderson Carvalho(Emin Makhmudov 61') MC:Pedro Nuno(Wagner 78')
MC:Fábio Espinho MC:Hélder Tavares
ED:Iuri Medeiros ED:Miguel Cardoso
EE:André Bukia(Renato Santos 71') EE:Jhon Murillo(Dylan Flores 74')
PL:André Schembri(Idé Colubali 79')  PL:Murilo(Heliardo Silva 63')

Treinador:Miguel Leal               Treinador:Pepa

Cartões Amarelos:João Talocha 47',Claude Gonçalves 72',Yordan Osório 78' e Kaká 92'.

Golos: Iuri Medeiros 66'.



Um Boavista melhor ficou com os três pontos na receção ao Tondela, que pode ter o sonho da manutenção hipotecado, a três jornadas do final do campeonato. Um golo de Iuri Medeiros, pouco depois da hora de jogo, conferiu justiça ao marcador no estádio do Bessa. 

Pantera respira melhor e isso notou-se



A tranquilidade de uma pantera com os objetivos cumpridos fez-se quase sempre notar no relvado do Bessa, fator ao qual se acresce a inquestionável qualidade superior de alguns dos seus elementos. Iuri foi uma dor de cabeça para David, Schembri oferece outras soluções no ataque em comparação com Iván Bulos e Idris é uma autêntica parede no meio-campo axadrezado.
E porque o médio do Senegal esteve quase sempre no sítio certo, o Tondela viu-se forçado a muitas bolas longas - quase sempre por Osório - que invariavelmente se perdiam na inocuidade. Não foi por isso de estranhar que os comandados de Pepa não tenham incomodado Vagner ao longo de quase toda a partida, enquanto do outro lado Cláudio Ramos teve um ou outro momento de aperto.
No primeiro tempo, Iuri deu o primeiro sinal, aos 19 minutos, com um remate que Cláudio Ramos encaixou sem grandes problemas. Apesar de ter estado sempre por cima no jogo, o Boavista teve dificuldades para forçar verdadeiramente na zona de finalização, mas teve os seus momentos na parte final do primeiro tempo, com três excelentes ocasiões de golo. 
Contudo, os remates de Schembri (43') e Fábio Espinho (45+1) voltaram a esbarrar num Cláudio Ramos atento, enquanto a tentativa de André Bukia (45') ficou a centímetros do poste esquerdo. Momentos que podiam ter levado a pantera em vantagem para o intervalo e que não teria assentado mal à equipa de Miguel Leal.

Tendência inalterada depois do descanso


A precisar de pontos como de pão para a boca, o Tondela não arriscou mais do que no primeiro tempo - porque também não conseguiu. Focados em pontuar e a jogar no limite do medo de perder, os beirões raramente arriscaram no momento ofensivo e deixaram para trás o registo rematador dos três jogos anteriores (47 remates).

Contudo, o Tondela teve o seu momento, sobretudo quando Heliardo - que tinha entrado - apareceu na meia direita a cavalgar isolado em direção a Vagner, que com uma palmada junto à relva evitou o golo forasteiro na primeira ocasião de perigo produzida no Bessa. O momento ganhou ainda mais importância porque logo depois, aos 66 minutos, o Boavista chegou ao golo num lance de bom futebol.

Schembri, um dos melhores, tocou de calcanhar, Anderson Carvalho encontrou Iuri solto e o extremo cedido pelo Sporting só teve de encostar para o fundo da baliza de Cláudio Ramos, totalmente indefeso em toda a jogada. A vantagem caía bem ao conjunto axadrezado, sempre melhor e mais perigoso ao longo de todo o encontro.
Contas feitas, o Boavista passa a somar 38 pontos e segue descansado para as últimas três jornadas.

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Antevisão Boavista FC - CD Tondela

BOAVISTA FC – CD Tondela
Sabado, 29 de Abril às 16:00

Preços dos bilhetes
Sócios: 3€
Acompanhantes de Sócio: 6€ (cada associado poderá adquirir até 3 Bilhetes a 6€ cada)

Horário das bilheteiras: segunda a sexta, das 9h30 às 12h30, e das 14h00 às 18h00;
Sábado, das 9h30 até ao intervalo do jogo



domingo, 23 de abril de 2017

Quinto Jogo Seguido Sem Vencer

VSC GUIMARÃES-2 BOAVISTA FC-0
Liga Nós 30ºJornada
22 de Abril de 2017 - 20h30M
Estádio Dom Afonso Henriques em Guimarães
      Árbitro :Manuel Mota(A.F.Castelo Branco)

GR:Douglas de Jesus  GR:Vágner da Silva
DD:Bruno Gaspar DD:Edú Machado
 DC:Pedro Henrique DC:Phillipe Sampaio
DC:Josué Sá  DC:Lucas Tagliapietra
DE:Ghislain Konan DE:João Talocha
MC:Rafael Miranda MC:Carraça(Rochinha 67')
MC:Bongani Zungu(Fábio Sturgeon 92') MC:Emin Makhmudov(André Schembri 55')
MC:Paolo Hurtado(Guillermo Celis 82') MC:Anderson Carvalho
ED:Hernâni Fortes(Raphinha 79') ED:Iuri Medeiros(André Bukia 82')
EE:Moussa Marega EE:Renato Santos
PL:David Texeira  PL:Iván Bulos
.

Treinador:Pedro Martins                 Treinador:Miguel Leal


Cartões Amarelos:Iuri Meideiros 25',Carraça 34',Moussa Marega 35',Ghislain Konan 42' e Anderson Carvalho 64'.

Golos: Paolo Hurtado 28' e Hernâni Fortes 48'

A pantera foi demasiado frágil para importunar um D. Afonso Henriques de espada afiada, confortavelmente instalado no quarto posto da classificação. Num jogo entre rivais, o V. Guimarães impôs-se ao Boavista vencendo (2-0) com golos de Hurtado e Hernâni, dominando por completo os axadrezados numa Cidade Berço em ebulição.
Entrando em campo sabendo que o Sp. Braga tinha sido derrotado em Paços de Ferreira, a equipa de Pedro Martins tinha uma oportunidade soberana para cimentar o quarto lugar, passando a ter cinco de vantagem para o rival minhoto. Cenário que se veio a verificar.

Por isso, o figurino do encontro rapidamente ficou estabelecido. A iniciativa de jogo pertenceu quase em absoluto ao V. Guimarães, com o Boavista a ficar na expetativa, com as linhas cerradas em frente à sua área, montando uma floresta de pernas difícil de penetrar.
Meia hora de resistência axadrezada
Apesar das dificuldades, a maior qualidade técnica dos vimaranenses ia vindo ao de cima, a espaços, quando o bloco axadrezado era corrompido. Texeira esteve na cara de Vagner depois de um passe displicente de Edu Machado, mas não aproveitou a deixa do defesa do Bessa. Pouco depois, na sequência de um canto, Josué esteve muito perto de fazer a emenda em cima da linha de golo.
Pronúncio de que seria uma questão de tempo até o sentido único do encontro ganhar expressão no marcador. Hurtado, o caçador de panteras que decidiu os dois jogos já disputados entre os dois emblemas esta época, confirmou o ascendente vitoriano ao inaugurar o marcador a dois minutos da meia hora.
Canto de Hernâni, Texeira desvia para defesa apertada de Vagner, e o peruano apareceu de forma oportuna a encostar para o fundo das redes. Sem Idriss e Fábio Espinho, duas pedras basilares do miolo da equipa de Miguel Leal, o Boavista não teve capacidade de resposta, vendo Vagner ser uma das suas principais unidades.
Trivela de Hernâni resolve
Esperava-se uma reação axadrezada com mais afinco depois do período de descanso, mas foi o Vitória quem voltou a impor o ritmo conquistando dois cantos nos instantes iniciais, sendo que, na ressaca de um deles, Hernâni resolveu o encontro.
Trivela com o pé esquerdo a apanhar Vagner desprevenido, num duro golpe para as aspirações de resposta do Boavista. Com o tirar do pé do acelerador, o Boavista tentou dar um ar da sua graça, mas nunca chegou a por as garras de fora.
Quinto jornada consecutiva a vencer do V. Guimarães, cimentando o quarto lugar com um triunfo incontestável. A equipa de Pedro Martins respira alegria, está numa fase positiva e o Boavista, que somou o quinto jogo sem vencer, sucumbiu de forma natural perante um Estádio D. Afonso Henriques com quase 25 mil espectadores a comungar da mesma alegria da equipa.

terça-feira, 18 de abril de 2017

Antevisão VSC Guimarães - Boavista FC


Vitória SC vs BOAVISTA FUTEBOL CLUBE
Domingo, 23 de abril às 18h00

Bilhete: 10€
Bilhete + camioneta: 13,50€

Horário da Secretaria: das 09h00 às 12h30, e das 14h00 às 18h00


sexta-feira, 14 de abril de 2017

Empate no Bessa


BOAVISTA FC-0 FC PAÇOS FERREIRA-0
Liga Nós 29ºJornada 2016-2017
14 de Abril de 2017 - 16H
Estádio do Bessa Século XXI
Árbitro:Gonçalo Martins(A.F.Vila Real)


GR:Mickael Meira    GR:Rafael Defendi
DD:Edú Machado   DD:Bruno Santos
 DC:Phillipe Sampaio DC:Marco Baixinho
DC:Lucas Tagliapietra  DC:Gége
DE:João Talocha DE:Filipe Ferreira
MC:Idrís Mandiang  MC:Filipe Melo
 MC:Carraça MC:André Leal(Minhoca 71')
MC:Fábio Espinho MC:Vasco Rocha
ED:Iuri Medeiros(Carlos Santos 89') ED:Diego Medeiros(Cícero 85')
EE:Rochinha (Renato Santos 57')EE:Luiz Phellype(Ivo Rodrigues 57')
PL:Iván Bulos(André Schembri 61')  PL:Ricardo Valente

Treinador:Miguel Leal               Treinador:Vasco Seabra

Cartões Amarelos:André Leal 11',Fábio Espinho 30',Idrís Mandiang 35' e 37',Iván Bulos 51' e Phillipe Sampaio 88'.

Cartões Vermelhos: Idrís Mandiang 37'.



O Boavista empatou em casa com o Paços de Ferreira (0-0), esta sexta-feira à tarde, em jogo a contar para a 29ª jornada da I Liga. Os axadrezados somaram a quarta partida consecutiva sem vencer.

O Boavista começou com Rochinha e Carraça nos lugares dos habituais titulares Renato Santos e Anderson Carvalho, respetivamente, e o Paços de Ferreira alinhou sem as duas grandes figuras, o médio Pedrinho e o atacante Welthon.
Pedrinho estava tocado, Welthon lesionou-se na véspera, na perna direita, e por isso ambos ficaram de fora, o que prejudicou a capacidade ofensiva pacense.
A primeira parte correu mal ao Boavista, primeiro porque falhou uma grande penalidade, por Fábio Espinho, e depois porque ficou sem o capitão, Idris, que viu dois cartões amarelos e um vermelho em três minutos (35 e 37) e foi, por isso, expulso, deixando a sua equipa em inferioridade numérica.
Depois uma fase inicial indefinida, o Boavista ganhou algum ascendente e Rochinha ganhou uma grande penalidade aos 11 minutos, em despique direto com Bruno Santos, mas de nada serviu porque Fábio Espinho rematou para fora.
Depois desse lance, o Boavista tardou em conseguir entrar de novo na área pacense, tanto devido ao acerto defensivo do Paços como por incapacidade própria.
Foi preciso esperar até ao minuto 32 para ver uma boa iniciativa atacante axadrezada, finalizada com um remate forte de Caraça, mas sobre a baliza.
Mas aos 37 minutos tudo se complicou para o Boavista, porque Idris viu o segundo cartão amarelo e o consequente vermelho.
O Paços aproveitou a superioridade numérica, tomou conta do meio-campo e forçou o Boavista a recuar e a quase abdicar do ataque, com o peruano Bulos ainda mais só, mas o melhor que os pacenses conseguiram antes do intervalo foi um remate forte de Medeiros (45+2).
Na segunda parte, o encontro desenrolou-se quase sempre no meio-campo boavisteiro e os pacenses tiverem muito mais bola, mas só isso, porque a equipa mostrou-se incapaz de tirar partido da sua superioridade numérica e de criar lances claros de perigo junto á baliza axadrezada.
Aos 76 minutos, Ivo Rodrigues serviu Medeiros e este, já desgastado por um ‘sprint’ longo, acabou por atirar por alto, em mais outra demonstração da fragilidade ofensiva que os visitantes demonstraram durante todo o jogo.
Schembri, que havia substituído Bulos, obrigou Defendi a uma defesa difícil e pouco depois (81) caiu na grande área pacense, num lance em que o Boavista reclamou grande penalidade.
O Paços de Ferreira tornou-se um pouco mais dominador na reta final, talvez porque o Boavista começou a dar sinais de alguma fadiga, mas mesmo assim sem conseguir situações de perigo junto à baliza de Mikael Meira.